O que é o SIGAACD? E como pode ser Utilizado?

Objetivo do SIGAACD

Tem como objetivo agilizar o processo de coleta de dados através de equipamentos portáteis, utilizando o recurso de identificação de código de barras, permitindo assim ter informações on-line, referente à movimentação de materiais.

A maioria das soluções que são criadas no mercado, originam a patir de uma demanda.

Automação e Coleta de Dados - iMind Sistemas

Necessidade de Mercado?

A necessidade cada vez maior de solução de automação em indústrias, através da incorporação da tecnologia de captura automática de dados baseada em  código de barras, computação móvel e redes sem fio, utilizadas para a otimização e para o controle dos processos de movimentação de materiais nos depósitos e chão-de-fábrica, fazendo com que a execução destes processos e seus dados esteja integrada com o Sistema de Gestão (ERP) utilizado em na empresa, deu origem na Microsiga (Atual TOTVS) o SIGAACD.

Solução Microsiga

A Microsiga desenvolveu sua própria tecnologia para utilização de computação móvel para automação e coleta de dados, utilizando conceito telnet.

 

Como funciona os coletores de dados no Protheus?

Funcionam com tecnologia VT100, para Rádio Frequência.

O protocolo VT100 é usado pelo TELNET e é um recurso que permite estabelecer uma conexão com outro computador da rede. Ele oferece a oportunidade de estar em um sistema computacional e trabalhar em outro.

Existem 2 tipos de coletores de dados:

  • Coletores Batch (Não esta homologado);
  •  Coletores RF (Utilizando protocolo VT100);

 

Programação para VT100

Em “ADVPL“, foram desenvolvidas bibliotecas e rotinas com funcionalidades que permitem a customização e desenvolvimento de qualquer rotina para VT100. Tais bibliotecas estão disponibilizadas no RPO padrão, a partir da versão 609.

 

Infra-Estrutura de Rádio Frequência

A infra-estrutura de radio freqüência é composta por um conjunto de equipamentos destinados à formação de uma rede de comunicação sem fio em um ambiente determinado.

Pode ser formada de duas formas:

a) com administração centralizada; ou

b) descentralizada.

Na sua forma mais simples, a de administração descentralizada, é composta por Access Points e antenas. Na forma de administração centralizada ela é composta por um ou mais Wireless Switches, Hubs ou Switches de rede e Access Ports.

 

Wireless Switch É o cérebro do sistema de radio freqüência. Entre muitas outras funções, gerencia access ports, controla acesso, gerencia segurança e separa redes.
Switch ou Hub de rede Funciona como um multiplicador de portas – sua função é disponibilizar a porta física, conector, para ligar os diversos access ports.
Access Port rádio-base para transmissão e recepção de dados. Não controla acesso, ou seja, não tem inteligência, pois esse controle é exercido pelo wireless switch.
Access Point rádio-base com inteligência, controla acesso, divide rede entre outras funções, porém é mais limitada que um conjunto Wireless Switch com Access Ports.
Antena dispositivo para transmissão/recepção de sinais, para ser ligada nos Access Points ou Access Ports. Existem diversos tipos, como as direcionais e omni-direcionais, variando a irradiação do sinal.

Equipamentos de Coleta de Impressão

 coletor Coletores RF

Equipamento utilizando tecnologia rádio frequência, muito utilizado na computação móvel  Microsiga. O coletor RF, pode possuir qualquer sistema operacional, deste que trabalhe com o protocolo VT100 e esteja na lista do coletores homologados.

 handheld Handheld

Estes equipamentos não estão homologados para trabalhar com o ACDSTD, porém permitem acesso ao servidor telnet, caso o seu sistema operacional possua o client telnet para VT100 e antena RF em seu dispositivo. Ainda não existem aplicações em eAdvpl para o ACDSTD, há não ser projetos específicos( ex: Inventário de Ativo Fixo).

 microterminal Microterminal

Existem diversas topologias de microterminais, porém para o ACDSTD só está homologado os equipamentos que funcionam com VT100.

 impressora_termica Impressoras térmicas

As impressões térmicas de etiquetas são muito utilizadas no ACDSTD, sendo assim foram desenvolvidas bibliotecas para geração e impressão de etiquetas de código de barras para as seguintes  linguagens de programação: DPL, EPL, IPL e ZPL.

 toledo_9091 Balanças

A tecnologia ACD não possui nenhum biblioteca que leia informações de balanças, porém existem customizações, que permitem a leitura dos pesos de algumas balanças sem o uso de DLL´s.

Código de Barras

O que é um código de barras?

Código de barras é uma representação digital impressa de uma informação.

Para que serve um código de barras?

O código de barras está diretamente ligado à captura de dados. O código de barras automatiza o processo de captura. Ao invés de se fazer a digitação de um dado, ele é capturado por um leitor óptico.

 

Tipos de código de Barros

Existem dezenas de padrões, todos aceitos internacionalmente. Os principais são: (EAN) – utilizado em automação comercial. (2 de 5) – utilizado em dados variáveis. (3 de 9) – uso geral.

 ucp_ean UPC/EAN: Este é o símbolo usado para a identificação de bens de consumo para o segmento de varejo. Os símbolos UPC são de tamanho fixo, sendo compulsórios em varejo e na indústria de alimentos, não sendo usados de nenhum outro lugar. Foram desenvolvidos para atender as necessidades do varejo em geral, uma vez que adapta 12 dígitos a um espaço razoavelmente compacto.
 code_39 CÓDIGO 39: Desenvolvido porque algumas indústrias necessitavam codificar o alfabeto, assim como números, em um código de barras, sendo o Código 39 de longe a simbologia mais popular do código de barras nesta opção. É tipicamente o código de barras mais usado para identificação em estoques e de processos em diversos segmentos industriais. Todavia, o Código 39 produz códigos de barras relativamente longos e pode não ser adequado quando a largura da etiqueta for considerada.
 code_128 CÓDIGO 128: Este código de barras provém da necessidade de uma seleção mais ampla de caracteres do que o Código 39 poderia fornecer. Quando a largura da etiqueta é considerada, o Código 128 é uma boa alternativa porque é muito compacto e resulta em um símbolo denso. Esta simbologia é frequentemente utilizada na indústria de transportes onde o tamanho da etiqueta pe um problema.
 inter_2_5 INTERCALADO 2 DE 5: Outra simbologia popular na indústria de transportes. “Intercalado 2 de 5” é muito utilizado também em operadores logísticos é uma simbologia muito compacta e você os verá em caixas de papelão para volumes, onde os objetos são embarcados para serem enviados aos depósitos e supermercados.

 

Informações sobre EAN 128 (Code 128)

  • O código 128, permite a impressão de todos os 128 caracteres ASCII, incluindo caracteres alfanuméricos maiúsculos e minúsculos, bem como os caracteres de controle. Além disso existem alguns caracteres especiais que são de uso intrínseco ao código 128.
  • O código 128 está dividido em três subconjuntos: A, B e C dos quais apenas um está ativo de cada vez. Cada um dos códigos tem um sentido diferente dependendo do subconjunto ativo.
  • O subconjunto A possibilita a impressão de todos os caracteres alfanuméricos maiúsculos, caracteres de controle e caracteres especiais.
  • O subconjunto B possibilita a impressão de todos os caracteres alfanuméricos maiúsculos, caracteres minúsculos, e caracteres especiais. Este subconjunto não possibilita a compactação, porém aceita quase todos os caracteres contidos na tabela ASCII.
  • O subconjunto C é utilizado para duplicar a densidade de códigos com conteúdo apenas NUMÉRICO e número PAR de dígitos. Este aumento de densidade é obtido pela impressão de um conjunto de 100 pares de dígitos de 00 a 99 inclusive. Além disto permite a impressão de caracteres especiais. Ou seja o subconjunto C é utilizado para compactar o código de barras.

 

Conceitos ACD x Protheus

Diferença entre código natural e código interno

Código de natural:

-Vantagens: Não necessita da impressão da etiqueta de identificação, pois o código utilizado é o mesmo já impresso na embalagem do produto;

-Desvantagens:Não possui rastreabilidade tão detalhada quanto o código interno;

Código Interno:

-Vantagens: Rastreabilidade forte e Unicidade do produto;

-Desvantagens: Identificação em todos os produtos no recebimento de mercadorias e/ou produção. Difícil implantação.

 

 

• COMO PODE SER USADO?

O SIGAACD, por ser sando em 5 processos dentro de uma empresa, além disso sua tecnologia VT100 também é utilizado pelo módulo SIGAWMS do TOTVS PROTHEUS.

PROCESSOS DO SIGAACD:

O SIGAACD possui um conjunto de rotinas com o objetivo de agilizar o processo de coleta de dados através de equipamentos portáteis, utilizando o recurso de identificação de código de barras, permitindo a automação do recebimento, movimentação interna de materiais, inventário, produção e expedição.

Estas rotinas estão subdividas em 5 partes:

  • Recebimento de Materiais;
  • Movimentação de Estoques;
  • Produção;
  • Expedição de Materiais;
  • Inventário.

 


Sobre Autor: 

Nome: Erike Yuri da Silva
Bacharel em Ciências da Computação
Participou do desenvolvimento padrão do SIGAACD na TOTVS, jutamente com o sr. Alex Sandro Valário, e hoje trabalham juntos na iMind Sistemas e Soluções Inteligentes.


Leia também:

Automação e Coleta de dados

Programação Impressoras Térmicas

Consultoria Protheus